11 de dez de 2008

Presentinho

(foto: Getty Images)
Ontem caiu uma chuva aqui em São Paulo.. aquilo não foi uma simples chuva, foi um verdadeiro toró! E como Murphy é meu amigo a chuva caiu bem na hora que eu teria que sair de casa.. ok, rodízio do carro, teria que ir de ônibus (nada contra, hein?)! Esbravejei, reclamei, fiquei olhando pro céu pra ver se a chuva iria parar logo, pensei em desmarcar meu compromisso, mas ai sabe comé.. adiar um compromisso? será que valeria a pena? Não, não valeria! Tirei o sapatinho fofo, coloquei tênis (odeio pq meus pés esquentam muito), respirei fundo, peguei meu mega guarda-chuva .. mas no fundo eu ainda estava de mal! De mal com a chuva, de mal.. mal humorada.

Assim que a primeira gota de água bateu no guarda-chuva parece que levou embora toda minha chateação.. ao invés de pegar ônibus fui andando, fiquei feliz em ver que eu não estava presa num carro.. estava eu, andando.. ok, até o metrô apenas umas 3 quadras. Desci uma estação depois e me deparo com uma moça ensopada com uma rosa na mão parada na ponte da Av. Dr. Arnaldo olhando o movimento da Av. Sumaré. Me deu até frio na barriga.. Não tive a menor dúvida:

G: Tá tudo bem por ai?
Menina: Tá sim!
G: Não tá passando nenhuma besteira na sua cabeça, né? (olha eu já negando qualquer possibilidade)
M: (risos) Não, tá tudo bem! Estou curtindo a chuva!
G: Posso ir embora tranquila?
M: (risos) Pode sim!
Respondi com um sorriso e fui (confesso que depois de alguns passos virei e ela já tinha embora bem)

Cheguei ao meu destino e sou recebida com um outro sorriso fofíssimo com um presentinho nas mãos! Uma florzinha fala: "Glaucia, é pra você!" Era um Strudel gigante!

Fiquei pensando: vale a pena ficar mal humorada? sofrer por antecipação? ou a gente (eu) tem que aprender a ser cada vez mais leve, curtir o momento. Ok, parece papo de butiquim, mas é sempre bom repensar nos nossos hábitos de ser e pensar, né?

Glau

Ps: Alguém ai também é Arita Silva?

16 comentários:

Dani disse...

Gostei das palavras, realmente em muitos momentos não damos o devido valor as coisas importantes e deixamos um mínimo detalhe atrapalhar todo um contexto.

Devemos pensar no todo, sair da nossa bolha e ver o quanto somos felizes né! Eu estou em um momento de reflexão Glau, muita coisa acontecendo que eu nem esperava, mas poderia ser muito pior então é seguir né!

Bjs

Nana disse...

Glau,
a vida quem desenha é a gente! Só depende de vc sorrir ou não, mas venha cá kkk você achou que a mulher ia se matar é?! kkkk
Socorroooo, precisa tirar férias!
Bjs e parabéns!
Você merece.

Glau disse...

Dani, o lance é nunca deixamos a peteca cair! e é sempre bom repensar nas nossas atitudes, né?

Nana, achei! haha já pensou? to ficando mais doida, né? Preciso tirar férias mesmo!

bjoka queridas

Claudia disse...

Lendas paulistanas. Será que a moça que você viu com a flor realmente existe? Será que ela volta ali todos os dias de tempestade?

Fiquei aqui imaginando o teu trajeto até o metrô tentando imaginar onde você mora. Eu morava no Sumaré, perto da avenida Sumaré, numa ruazinha chamada Raul Deveza entre a Gastão Mesquita e a Cauibi. Num bloco de prédios baixos que na época eram conhecidos como sucursais da Folha e do Estadão pois ali só moravam jornalistas. Um canto que era bem legal em SP.

E o strudel? Estava bom?

C.

Simone Izumi disse...

Meu, que mêda...ela estava de vestido branco?Tinha chumaços de algodão no nariz? Você apertou a descarga três vezes????Insanidades à parte,( já que vc estava na rua em frente ao metrô) , parabéns pela iniciativa...acho que vc salvou uma vida!!Ou pelo menos melhorou o dia de uma pessoa...
O que significava Oma mesmo?
bjs

Odete disse...

Glaucia querida, a vida eh um eterno aprendizado. Que percepcao boa voce tem e isso tranformou positivamente seu dia.
Como ja morei nessa area, fiquei aqui mapeando o local da historia.
Valeu o dia com esse strudel da vovo Gisella, hein!

Beijo

Bergamo disse...

Belas palavras.
Beijos,
Bergamo

psychic disse...

Adorei a sua narração... há dias assim, que parecem maus, mas durante os quais encontramos uma coisinha que nos faz sorrir, e depois outra e mais outra!

E isso acontece mais quando deixamos de olhar para dentro e passamos a olhar em redor...

Mil bjs

ameixa seca disse...

Eu adoro caminhar e se estiver muita chuva eu fico ainda mais leve :) Sinto-me renascida!
A menina ia cometer suícidio e já levava a flor para o funeral? he he
Demais!!!

Luciana De Camillis disse...

Gostei muito do seu texto, é incrível como muitas vezes não damos o valor devido a tudo o que a vida nós oferece......um aprendizado constante. Estou aprendendo sempre ....adorei!!!
Um grande abraço
Luciana

Gina disse...

Glau, gostei de suas atitudes: repensar meu modo de agir e dirigir-se à moça... seguiu sua intuição. Gracinha!
Bjs

Glau disse...

Claudinha, te mandei um email contando o percurso de ontem :) Eu espero que a moça exista.. pelo amor, tenho pavor de espíritos, assombrações, lendas.. nunca vi nada disso, mas tenho medo! :)

Si, vc entrou na piração da Claudinha, né? haha Como a Odete bem traduziu Oma = vovó

Odetinha, obrigada querida.. andei por ruas conhecidas, né? :)

Bergamo, obrigada pelo seu post..

Psychic, adorei seu recado. Obrigada, viu

Ameixinha, vc é ótima! seu senso de humor é incrível..

Luciana, obrigada pela sua visitinha aqui no Madames.. pois é, mtas coisas deixamos passar mtas situações sem nos darmos conta, ne? ficamos irritados, explodimos mtas vezes à toa.

Gina, segui mesmo! :) Obrigada!

Bjos pessoas queridas, Glau

laila disse...

ai glau... suas louquices...

qdo etsou aasim de mal com td e odos eu brigo comigo e me obrigo a sorrir...logo passa!

ahahha no final demos todos risadas! bjs

Cláudia M. disse...

Glau, acho que teria pensado o mesmo que vc se visse a tal moça em cima da ponte... e as meninas de gozação com vc..rsrs
Olha, aqui tb está a chover há 24 horas quase sem parar, mas que se há-se fazer? Eu até gosto de apanhar uma chuvinha, mas um dia destes fui apanhada desprevenida e apanhei tal chuvada, que até o cabelo pingava. Não me apetece apanhar chuva tão depressa...
Mas amanhã o sol vai voltar.
Bjs

Mario Marcio disse...

Por essas e outras que a vida vale a pena!

Valentina disse...

Não vale não