31 de jan de 2009

Torta de Azeitão - Intercâmbio Culinário

Queridos, foi com grande prazer que participei pela primeira vez do Intercâmbio Culinário. Minha parceira foi nada mais nada menos que a querida e super talentosa Canelinha, do Sabores de Canela.

Quando a Canelinha perguntou se eu teria alguma preferência de receita portuguesa logo me lembrei dos doces tradicionais! Eu adoro os doces portugueses, principalmente os que levam ovos. Ela sugeriu que eu fizesse um doce típico da região de Azeitão, denominado Torta de Azeitão. Topei na hora!
Torta de Azeitão

Ovos moles
8 gemas
250 g de açúcar
150 g de água

Preparação
Leve ao lume o açúcar com a água e deixe cozer até atingir o ponto pérola, isto é até pegar nas pontas dos dedos, (108º centigrados,32º baumé no pesa xaropes). Retire do lume e deixe arrefecer.
Numa taça à parte, desfaça as gemas, incorpore-as na calda e leve de novo ao lume, misturando constantemente até engrossar um pouco (quando começa a ferver) e tire do lume.

Torta
10 Ovos
200 g de açúcar
35 g de farinha de trigo
Canela em pó para polvilhar

Forre um tabuleiro de ir ao forno com papel vegetal e unte o papel.
Ligue o forno a 200º. Bata os ovos com o açúcar até ficar um creme esbranquiçado e espesso que aumenta de volume. Incorpore a farinha delicadamente. Deite o preparado no tabuleiro e espere que assente 10 minutos. Introduza-o no forno, até o creme começar a mudar de cor (deve ficar amarelo e não tostado). A cozedura dura poucos minutos. A partir daqui é importante ter tudo à mão, pois as operações são feitas de seguida para enrolar a torta ainda quente. Vire o tabuleiro para cima dum pano de cozinha, retire com cuidado o papel vegetal. Apare as pontas que não podem ser cortadas depois, espalhe os ovos moles e polvilhe toda a superfície com canela em pó. Com a ajuda do pano, levante-o e vá enrolando a torta (rocambole), devagar e com cuidado. No final corte uma fatia fina em cada ponta para acertar e novamente com a ajuda do pano transfira para o prato de servir.

Canelinha, muito obrigada!
Um beijo grande a todos e bom final de semana, Glau

30 de jan de 2009

Aula de culinária nas escolas

Fonte: Getty Images
Como muitas escolas já voltaram às aulas resolvi falar sobre um assunto bem bacaninha.. Culinária na Escola.

Final do ano passado ajudei uma professora muito querida a fazer uma apresentação cujo tema foi a importância desta disciplina em sala de aula. Colhemos uma série de informações e infelizmente não estou com as referências para passar pra vcs! Foi muito divertido pesquisar e pensar neste assunto! Vamos lá!

Aula de culinária possibilita:
- Trabalhar de forma multidisciplinar diversos conteúdos escolares
- Elevar a auto-estima do aluno (sentir-se útil ao preparar uma receita)
- Trabalhar em equipe (aprender e respeitar as regras de convívio)
- Aprender bons modos à mesa (mas nada substitui a família)
- Transmitir a aprendizagem de sala de aula para os familiares
- Aprender a experimentar

Hábitos de Higiene
- Ensinar e seguir algumas normas de segurança e higiene na preparação dos alimentos:
- Lavar sempre as mãos com água e sabão
- Se tiver cabelos compridos, prenda-os (touca)
- Utilizar avental

Leitura/ Linguagem
- Leitura e interpretação das receitas
- Melhorar a capacidade da criança em ler
- Melhorar vocabulário
- Dependendo da turma, trabalhar com singular e plural, aumentativo e diminutivo, verbos, substantivos, adjetivos (regras gramaticais), etc.

Matemática
- Trabalhar conceitos matemáticos: adição, subtração, multiplicação e divisão
- Fração (pizza)
- Medidas (de massa, volume, capacidade, temperatura)
- Sequenciar (o que vem em 1o., 2o, 3o., etc.)
- Resolução de problemas
- Valor monetário

Ciências
- Origem dos alimentos (animal, vegetal e mineral)
- Estados físicos: gasoso, líquido e sólido
- Alterações dos alimentos durante o cozimento (ovo, legumes, etc.)
- Desenvolver os 5 sentidos: paladar, tato, audição, visão e olfato
- Observar processos de fermentação, fervura, etc.
- Trabalhar resíduos recicláveis e orgânicos
- Componentes dos alimentos industrializados (conservantes, acidulantes, corantes, etc.)
- Data de fabricação, validade.

História
- Origem da receita: associar o período em que a receita foi criada com fatos históricos da época.
- Como era a vida das pessoas que viviam naquele local (práticas, costumes, etc.)
- Estudos sobre imigração a partir de uma receita de origem estrangeira
- Diferenças nos hábitos alimentares entre culturas (países e estados)

Geografia
- Receitas típicas regionais (utilizar mapas e mostrar onde se localiza da cada país, estados, etc.)
- Geografia da região (tipo de solo, vegetação, hidrografia)

Coordenação Motora
- Proporcionar atividades como misturar, bater, picar, enrolar, abrir embalagens, etc. desenvolvem a coordenação motora.

Outros pontos a serem trabalhados
- Alimentação saudável
- Fast food X Confort food
- Poder nutritivo dos alimentos (vitaminas, caboidratos, gorduras, etc,)
- Saúde (obesidade, anemia, anorexia)

Gente, fala se não é muito rico!? Os professores podem trabalhar esta disciplina de uma maneira contextualizada e digo pra vocês, as crianças amam!
O que me choca é o quanto muitos pais não entendem a importância destas aulas e não enviavam os produtos solicitados pelas Prôs. Pode uma coisa destas?

Eu tenho umas fotos bacanas das crianças nas aulas, mas o cpt de casa morreu! Quando ele ressuscitar, eu coloco as fotos pra vcs!
Bjos, Glau

29 de jan de 2009

Mme. Bactéria

Então é isso, as férias (deliciosas!) se foram e eu aqui me encontro, acordando antes do galo cantar (galo nesta cidade não cola, né?! Até os galinhos do tempo acho que se aposentaram uma vez que qualquer paulistano sabe que amanhã, depois e depois vai chover, a cidade vai alagar e você vai chegar em casa pronto(a) para o café da manhã. Mas eu vou completar minha frase lá do início.... deixem-me pensar... ah, já sei... Acordando antes da minha vizinha do apto. de cima sapatear com salto 15 às 6h da matina (incluindo finais de semana e feriados)! Mas eu não reclamo, eu gosto do que faço, acordo feliz do lado de quem amo e saio pra trabalhar! E hoje, aproveitando o meu ofício e o bafafá que se instalou na imprensa devido a um acontecimento muito triste ocorrido na semana passada, vim aqui pra falar delas: as temíveis bactérias.

Nós, que lidamos com alimentos (conservação, manuseio, preparo e ingestão, claro!) precisamos saber o mínimo sobre e como lidar com estes seres, uma questão de higiene e, principalmente, saúde. Na cozinha, nosso ambiente preferido, elas estão presentes aos milhares.

E quem são estas danadas?

As bactérias são microorganismos, ou seja, seres muito pequenininhos que só podem ser vistos através de um microscópio. Vivem a se multiplicar em diversos ambientes. Mas, ao contrário do que ouvimos e lemos por aí muitas vezes, nem toda bactéria é malvada e pode ser considerada inimiga. Há muitas delas que nos auxiliam e a quem devemos tratar muito bem!

É preciso mantermos a cozinha, os armários e as geladeiras sempre limpos. Os alimentos devem ser armazenados em lugares secos e arejados e, se na geladeira, devem estar acondicionados e embalados corretamente, pois 23% das geladeiras abrigam a perigosa bactéria (Klebsiella pneumoniae) que se presente em comidas contaminadas e em embalagens, pode causar pneumonia e infecção do trato urinário. – Vá já espiar como anda a sua geladeira! Alimentos amontoados e guardados em saquinhos da própria embalagem, como alface, rúcula e outros vegetais, são um prato cheio para bactérias.

Nas mãos vocês já sabem, muita água e sabão e, depois, sequem-nas bem sequinhas.


Água para consumo só filtrada, embalada ou bem fervida. Isso tudo porque em meio favorável (úmido e quentinho) as bactérias se multiplicam velozmente e aí, babau, os estragos podem ser muitos.

E a boca então?! Não vou nem falar muito para não assustar, mas saibam que 10.000 bactérias são transmitidas pela boca ao mergulhar um alimento já mordido num prato de comida, de acordo com um estudo publicado na revista Journal os Safety Food. Um molho de tomate, por exemplo, absorve maior quantidade de bactérias do que um patê mais consistente. - Assim, na próxima vez que você ficar tentado(a) a reabastecer aquela torradinha, lembre-se de que outras pessoas dividem o aperitivo com você!

Bom, pela prática, já vou antecipar aquela perguntinha básica: E o beijo na boca? Em termos científicos, nojento, em termos afetivos, maravilhoso. Ótimo, vá beijar na boca e seja feliz! ;)


Mas, como disse anteriormente, muitas bactérias são benéficas, isto é, são nossas aliadas. Destas, é importante que fiquemos muy amigos. A lista de benefícios dos aclamados probióticos, por exemplo, presentes em leites, fermentados e certos iogurtes, é longa: de estimular defesas do organismo até proteger contra tumores. O melhor é consumir estes alimentos longe das refeições, de preferência em jejum, assim as madames agirão sozinhas; bom para elas, melhor para nós! A quantidade ideal a ser ingerida semanalmente é de 350 a 450 gramas. - Cinco frascos de Yakult por semana preenchem a cota! Um iogurte por dia também vale! Eu tomo o meu todo dia!

Ah, e atenção aqui!: Sabonetes anti-bacterianos (para o corpo e regiões íntimas) não devem ser usados todos os dias, ok?! Isto porque nossa pele abriga milhares de bactérias que nos protegem de outros organismos.

Viram só?! Limpando tudo direitinho e ingerindo alguns tipos específicos de alimentos (a variedade é enorme, tem para todos os gostos e bolsos!), eu, você, as bactérias e todos os seres vivos deste planeta viveremos em paz, felizes e contentes, cada um no seu quadrado. E é isto que a gente deseja, não é mesmo?!

Beijos,
Marula.

28 de jan de 2009

Entre Panelas e Tigelas

Estou completamente encantada com o novo livro da Heloisa Bacellar, o Entre Panelas e Tigelas. Não fiquei encantada somente pela qualidade das receitas, mas assim que você pega o livro nas mãos e abre a primeira página você entra num mundo recheado de histórias, gostos, cheiros e cores.

Já na apresentação, escrita pelo crítico gastronômico Arnaldo Lorençato, vc já se sente entrando na casa e um pouquinho da vida de Heloísa. Na sequencia, na introdução, a autora explica a construção do livro, como chegou aos 16 temas diferentes.. todos eles recheados de histórias, informações técnicas e muitas receitas, tudo isso descrito e visto (todas as receitas tem fotos) de uma maneira gostosa, próxima e muito verdadeira.

"Adoro cozinhar, montar uma mesa apetitosa e linda e provar um pouco de tudo. Leio meus livros de receita como se fossem romance. Vivo sonhando com panelas, caldeirões e receitas (...) Eu gosto mesmo é de uma receitinha envolvida numa história gostosa e interessante. (...) Meus olhos brilham quando entro numa feira, num mercado, numa quitanda, até mesmo num supermercado. (...) O que importa é cozinhar com calma, paz e muito carinho, pois tudo isso vai para o prato e quem come percebe. "

Tive quase um treco ao ler estas descrições... :)

O bacana deste livro, por ser tão verdadeiro, não tem como você não se identificar pelo menos com uma partinha do livro, seja pelo gosto pela maçã, com alguma história narrada, pelas suas paixão pelas peças de cozinha, sua "insistência" até chegar a perfeição de uma receita, no capricho, no carinho ao receber seus convidados em casa.

Fica aqui uma sugestão de presente pra você mesmo ou para aquele que vc tanto gosta! O livro é realmente muito bonito! De todo modo, vale a pena dar uma xeretada numa livraria próxima.

"Entre Panelas e Tigelas, a aventura continua"
Heloisa Bacellar, com fotos de Rômulo Fialdini
Preço sugerido: R$ 175 (sugestão de site para comparar preços)
Editora DBA

Bjo, Glau

27 de jan de 2009

Comida Caseira

Minhas amigas vieram almoçar em casa.. fiquei pensando no que iria preparar e no final decidi pelo bom e velho arroz com feijão. Nada melhor que uma comidinha bem fresca e caseira! Pra acompanhar preparei salada de batata, assei linguiça no forno e teve farofinha de banana com linguiça.

Engraçado pq associo o feijão com arroz a comida de mãe, de avó feita com todo o carinho! Quem não se esquece daquele velho termo: sempre cabe mais um, é só colocar mais água no feijão!

A inspiração da farofa veio no meu novo livro Entre Panelas e Tigelas, da Heloisa Bacellar. Aliás, em breve quero falar deste livro..

Farofa de feijão-andu e banana para Maria Bonita e Lampião
(Cozinhando para amigos 2 - Heloisa Bacellar)

1 xícara de feijão-andu demolhado por umas 2 horas (não coloquei)
4 colheres (sopa) manteiga de garrafa ou 50g de manteiga comum
1 cebola grande em fatias finas
2 bananas nanincas em rodelas de 1cm
1 xícara de farinha de mandioca crua
1/2 xícara de salsinha e cebolinha picadinha
sal

Numa panela coloque o feijão e cubra com água. Quando ferver tire a espuma qe se formar na superfícei, abaixe o fogo e cozinhe até que os grãos estejam macios, mas inteiros. Você só usará os grãos, descarte o caldinho.

Numa frigideira aqueça a manteiga, doure a cebola, junte o alho e espere perfumar. Acrescente o feijão (neste momento coloquei as linguiças já cozidas e cortadas em tirinhas), na sequencia coloque as bananas. Quando estiver macia, junte a farinha e a salsinha e cebolinha, acerte o sal e sirva.

E de sobremesa preparei pudim de leite condensado.

Vocês repararam que usei algumas peças de Monte Sião?
As vezes quero preparar algumas comidas diferentes pros meus amigos, mas nada mais gostoso que um arrozinho com feijão! Não tem como errar!

Bjo, Glau
Ps: Primeira vez que preparei feijão em casa! :)

26 de jan de 2009

Porcelanas Monte Sião

Como vocês já devem ter percebido eu adoro bater perna! Não vou dizer que eu odeio passear nas lojas chiques como Espaço Santa Helena porque eu estaria mentindo, mas me chama pra dar uma garimpada no Pari, Paula Souza, Vint e cinc que, se eu puder, topo na hora!

E se tiver lá nas bandas do circuito das águas paulistas também me atrevo a passear em Pedreira (como já falei um zilhão de vezes) e em Monte Sião!

Monte Sião é uma cidadezinha de Minas gerais que faz divisa com São Paulo e é conhecida como a Capital Nacional do Tricot, mas eu confesso que ultimamente não é o tricot que tem me atraído, mas sim a Porcelana Monte Sião.

O mais divertido de tudo isso é que a fábrica existe há 50 anos e as peças nunca saíram de moda, muito pelo contrário! Está no auge da moda! O restaurante recém inaugurado Dalva e Dito do badalado (e ui, ui) Chef Alex Atala com uma proposta de resgatar a comida brasileira, optou por utilizar como parte das louças as peças de Monte Sião.

foto: blog Marcelo Rosenbaun, mas vi as fotos no site das queridas Rainhas do Lar

Este final de semana tive a sorte de poder visitar a fábrica novamente.
O que me deixa de fato encantada é todo o trabalho manual envolvido na preparação das peças! São feitas em fornos a lenha (possuem uma área especialmente reflorestada) e pintadas uma a uma. Não é pra enlouquecer?
Nas mesas ficam as peças com pequenos defeitos, mas vale a pena dar uma boa fuçada que sempre dá pra achar algo bom!
Me fala se estes porquinhos não são um charme? Imagina numa varanda com vasinhos de ervas plantados?
As peças de lá marcaram minha infância - minha avó tem muitas peças, minha mãe tem algumas poucas coisas e agora eu, aos poucos, estou montando um joguinho pra mim!

23 de jan de 2009

Inventando moda.. sempre

Dia desses, ainda de férias, inventei moda e levei minha mãe na onda..fizemos um mini curso de decoupage em madeira!

Até escolher o guardanapo foi um parto. De flores? Frutas? Infantil? Motivos de Páscoa? Tem uma infinidade.. escolhi um animadinho e minha mãe escolheu um de flores.

E toca pintar, secar com secador de cabelos, lixar, limpar, pintar, secar, lixar, limpar...

Dai é hora de fazer pátina, entre as infinitas técnicas existentes usamos uma buchinha (mão da professora que aparece na foto)


Depois toca secar a caixa novamente e recortar o guardanapo. Hora de colar a figura, secar, colar por cima, deixar lisinho.. (professora aparece na foto) :)

Resultado final:
Caixinha da minha mãe:

Parte de dentro da tampa

E a minha!

Vista lateral. Detalhe na minha mãe lotada de tinta!

Apesar do trabalhão e de alguns momentos achar que não iria sair nada, gostei muito do resultado final. Se farei outra aula? Ai é uma outra história, mas já estou com uma bandeja e 2 caixinhas pra fazer neste final de semana! :)

Em breve novidades no Quitandoca!
Bjos e ótimo final de semana, Glau

22 de jan de 2009

Mimadinha que só...

Quando pequena meu irmão brigava comigo e dizia que eu era insuportavelmente mimada! Eu não me via desta maneira, mas minha mãe dizia que eu não falava normalmente, eu "cantava".. sabe aquelas crianças que de tão mimadas falam com a boca mole? "Eu nããããããoooo queeero comer feijããããão" E ainda viram a cabeça de lado e fazem beicinho?

Imagina a cena, só de pensar numa criança assim me dá até arrepios. Mas sinto em lhes dizer que eu era realmente assim.. sem tirar nem por! Chata pra dedéu! Eu acho que eu melhorei, mas ultimamente tenho sido muito mimada!

Dia desses eu estava aqui em casa e eis que o interfona toca: "Encomenda para a Dona Glaucia!". Opa, adoro receber encomendas! Já me soou coisa boa! Mas não imaginava no tanto de carinho que iria receber. A mais que querida Téia me enviou uma caixa lotada de mimos.. fiquei super emocionada com tamanha gentileza e demonstração de carinho! Téia, minha linda, você é demais! Muito obrigada!

E pra me deixar ainda mais mimada recebi hoje, também pelos Correios, este Kit Comemorativo pelos 55 anos da Quaker no Brasil, enviados pela querida Giovanna. Veio uma lata foférrima, um livro com fotos lindas, explicando o histórico da Quaker no Brasil e com receitas muito boas! O Ale é viciado em aveia e com certeza faremos um ótimo uso do nosso presente!

Tenho recebido muito carinho depois que o Madames foi criado! :)

Fica aqui meu beijo a todos vcs que nos visitam, aos que deixam recadinho, aos que não deixam e um especial para a Teinha e pra Giovanna!
Glau

21 de jan de 2009

Passei na sogra e trouxe castanhas portuguesas de presente.. já cozidas e ainda bem quentinhas... desmanchando na boca! Diliça de presente!

Regiminho que é bom, necas de pitibiriba! Tô inchada, muito! Tô me sentindo igual a esta castanha do canto inferior.. bem redondinha e carnuda! :)

20 de jan de 2009

Cuscuz paulista

Enrolei demais pra escrever este post do Cuscuz. Enrolei porque não saberia como passar a receita já que faço tudo bem a olho.

Quando penso em Cuscuz (não penso mto, viu?) associo a comida rápida (aproveitar o que tem no armário e na geladeira) e sem muita trabalheira... e por isso é tão difícil passar uma receita já que pode ser feita com as mais diversas combinações!

Tem pra todos os gostos! Já vi cuscuz de tudo que é jeito... cuscuz com frango, outros com sardinha, camarão, alguns colocam milho, outros só ervilha, palmito e por ai vai.. Nem sei bem ao certo se existe uma receita "tradicional", mas olha que legal esta historinha...

Então tá, chega de enrolação.. vamos ao meu cuscuz :)

- 3 ovos cozidos picados (pode reservar um para a decoração)
- 1 lata de sardinha (gosto da sardinha mesmo, mas vc pode trocar por frango desfiado, camarão)
- 1 lata de molho de tomate
- 1 lata de seleta de legumes (o lance é ser prática! mas se quiser utilizar os legumes cozidinhos, como cenoura, batata também pode! Aqui pode tudo, hein?
- 1 vidro de palmito picadinho
- cebola (uso ou uma enorme ou duas de tamanho médio) em brunoise
- bastante alho
- azeitona picada (eu adoro azeitonas e dai exagero)
- bastante cheiro verde
- pimenta e sal a gosto
- bastante azeite
- pode colocar pimentão, milho, ervilhas (mas eu não coloco no meu)
- e pra finalizar, farinha de milho (já explico a quantidade)

Como fazer?
Aqueça o azeite de oliva em uma panela (sauteuse pros chiques), acrescente a cebola e sue, a seguir acrescente o alho. Assim que o aroma subir, coloque o molho de tomate (pode ser tomate concassé) e deixe reduzir um pouco. Adicione o restante dos ingredientes, exceto a farinha. A farinha você irá colocar aos poucos, mexendo sempre. Cuidado para não secar demais seu cuscuz! Depois de frio, ele dá uma secadinha!

Unte uma forma de pudim (com uma "torrezinha" no meio) e decore como quiser. No da foto eu decorei com tomate-cereja, rodelas de palmito e algumas folhinhas de salsinha. Aperte bem, deixe gelar um pouquinho e desenforme!

Queridos, o lance é o seguinte: faça com os ingredientes que gostar.. o "segredinho" está na quantidade de farinha de milho.

Um beijo, Glau

15 de jan de 2009

Como decorar uma mesa gastando pouco

No Ano Novo eu e minhas cunhadas estávamos empolgadíssimas com os preparativos.. tanto das comidaiadas quanto na decoração. Porém, ninguém estava na pegada de gastar uma fortuna.

Em Pedreira achamos a loja de fábrica da Nadir Figueiredo e lá compramos uns copos americanos bem pequetitos (R$6,00 o conjuntinho com 6 copinhos) e outros do tamanho "normal", aqueles de botecão, sabe? Que aliás é tudo de bom tomar cerveja bem gelada num copo destes. Enfim, na loja decidimos qual seriam os "vasinhos" usados para a noite da virada.

As florzinhas compramos umas mini margaridinhas - cada vasinho por R$2,50. Achei no Pão de Açúcar daqui de Sumpaulo por R$1,75, mas ai vc usa aquela flor que mais lhe agradar, em copinhos pequenos as florzinhas menores ficam mais bonitinhas.

E dai o que você tem que fazer? Pegue uma tesoura e corte o caule das florzinhas - o tamanho irá depender da "altura" do seu copinho. Tire o excesso de folhas, junte algumas florzinhas e coloque no copinho já com um tanto de água.

No dia das bodas de papel (um ano de casada) resolvi fazer a mesma decoração do Ano Novo. Mas como eu sou exagerada resolvi "fazer" o jogo americano. Eu tinha este retalhe xadrezinho amarelo e peguei as medidas de um jogo que já tinha em casa e recortei o tecido - como não tenho máquina de costura, o acabamento foi feito com tesoura de picotar (não acho a fita métrica pra passar a medida pra vcs - quando achar, eu passo, ok?)

O ideal seria deixar o pano bem passadinho! Mas como eu preparei a massa, molho, polpettone e sobremesa e já estava acabada, desisti de ligar o ferro de passar e botei fé que o prato iria esconder o amassadinho! :)

Tinha em casa aquelas velinhas para rechaud e coloquei nuns copinhos amarelos que combinavam com a decoração da mesa. Caso não tenha estes copinhos, coloque num pires com água e aproveite e coloque algumas florzinhas junto!

Na 25 de Março estas velas custam baratinho.
Enfim, dá pra fazer bonito gastando pouco!
Bjos, Glau

Ps: O título do post é mérito da cunhada!
Ps 2: Não jogue fora o vaso das flores pq mesmo depois de podada, as flores renascem! :)

14 de jan de 2009

Caldeirada de frutos do mar


Eu continuo aqui, além mar, desfrutando as minhas tão sonhadas férias. Por aqui não temos net, modos que ando desplugada de todo e qualquer vestígio de civilização (adouro esta vida selvagem!). Mas, porém, contudo, todavia, hoje andei 80km para visitar uma amiga na divisa com o Rio de Janeiro e aqui achei um mac dando sopa, então não resisti vir aqui matar a saudade!

Ando cozinhando horrores por estas bandas e, na noite da virada, preparei uma caldeirada para a ceia. Caldeirada, caso alguém não conheça, é um prato que reúne diversos frutos do mar. Dá uma trabalheira danada prepará-la, mas é um prato delicioso, ainda mais para uma grande comemoração!!!

Para prepará-la, você vai precisar de:

Frutos do mar: Lula, polvo, postas de peixe (cação, garoupa ou robalo são os mais indicados), camarão e mexilhão.

Temperos: Muitos temperos! Cebola, cebolinha, cheiro-verde, alho, pimentão, azeite de dendê, leite de coco, sal e limão.

Uma panela grande também é imprescindivél!



No site da Ana Maria, achei uma receita bacana. O modo de preparo é parecido com o que eu fiz, mas eu gosto de fazer por etapas: primeiro cozinho o peixe, depois os outros frutos, tudo com muita calma, coisa que, infelizmente, me falta nesta hora, o computador, como disse, é emprestado e está um dia lindo lá fora, o dever de lagartear na areia me chama! Deixo as fotos para vocês apreciarem e muitos, muitos beijos! Espero que vocês tenham entrado com o pé direito em 2009 e com a certeza de que seremos todos muito felizes!


Au revoir! Dia 26 eu volto, firme e forte!

Marula.

13 de jan de 2009

Marido de madame é madamo?

Ontem completou um ano que juntei meus trapinhos com os do Ale.

Quando todas as minhas roupas e meus apetrechos estavam aqui, não teria mais nada para trazer e era chegada a hora de me mudar, lembro perfeitamente da cara da minha mãe, não falamos nada - só nos olhamos. Entrei no carro, dobrei a esquina e o Ale me perguntou: "Tá tudo bem?". Estava sim, estava super feliz em começar uma nova fase na minha vida ao lado de quem eu simplesmente sou alucinada, mas eu não conseguia falar um A, minha garganta doia e se eu falasse eu ia começar a chorar e assim eu fiz! :)

Mudar, fazer escolhas nem sempre é uma tarefa fácil e na maioria das vezes envolve outras pessoas e não só você, mas se permitir o novo, arriscar, sair da zona de conforto, faz as portas e as janelas da sua vida se abrirem.. e foi justamente isto que vivi neste um ano ao lado do meu gorducho (que de gordo não tem nada!).

E pra comemorar nada como uma festenha pra poucos convidados! Com direito a muitas flores, muitos mimos..

Preparei a massa do macarrão! Af, que coragem! Não imaginava no trampo que dá pra abrir a massa! Haja muque.. e descobri que o meu tá bem do fracote! Esta massa ficou algo parecido com um Tortelli com recheio de mussarela de búfala. Fiz molho de tomates e porpettone coberto com bastante queijo e molho! E de sobremesa sorvete de frutas vermelhas! Preparei tu-di-nho!

Vamos as receitas:
Pasta com ovos (receita para 10 pessoas)
Fonte: Técnicas de Cozinha Profissional - Mariana Sebess

- 1kg de farinha de trigo
- 10 ovos
- 0,02kg de sal
- 0,05litro de óleo
- 0,05litro de água

Coloque os ovos no centro de uma tigela com a farinha peneirada, incorpore o restante dos ingredientes e misture todos com o auxílio de uma colher. Retire a massa da tigela e passe para um local que você possa trabalhá-la. Abrir a massa com a palma da mão, juntar novamente e repetir esse processo. Ufa, já deu calor só de lembrar.

Sove a massa até que ela fique bem lisa e homogênea. Deixe descansar por volta de 20 minutos coberta com filme plástico.

Passado o tempo de descanso (só da massa pq vc continua preparando o restante dos quitutes). Passe a massa pela máquina de pastas até que ela fique bem fina. Ok, mas pergunta se eu tenho a tal maqueneta? E dai aqui foi hora de ver o quanto a academia tem feito falta! E lá fui eu abrir com o rolo de macarrão! Neste momento percebi o quanto é mais fácil e prático comprar massa pronta! Os meus macarones ficaram horríveis.. cada um num formato, espessura e não rendeu quase nada pq eu não aguentava mais abrir massa! :) Mas valeu a experiência! Adorei fazer!

Dai depois da massa "aberta", vc coloca o recheio no centro e corte as beiradas com uma carretilha. Pincele as bordinhas com água e feche a massa, pressione bem para o recheio não escapar. Depois ferva em água bem quente com um pinguinho de sal.

Molho de tomate
Fonte: 400g de Técnicas de Cozinha

- 300g de cebola em brunoise (cubinhos de 3mm de lado) Acho tão chique estas palavras! :)
- 50ml de azeite extravirgem
- 1 colher (chá) de alho picado
- 1,5kg de tomate maduro concassé (sem pele e sem semente) Eu fiz somente sem pele.
- 1 bouquet garni (o meu tinha, salsa, tomilho-limão, louro, manjericão)
- 1 colher (sopa) de açúcar
- sal a e pimenta a gosto

Doure a cebola no azeite e depois acrescente o alho. Acrescente o tomate, bouquet garni, sal, pimenta, açúcar e cozinhe e fogo bem baixinho durante uma hora ou até adquirir a consistência que deseja. Eu adoro preparar molhos e deixei o meu horas cozinhando - acrescentei em alguns momentos água fervente. Você sabe que está pronto quando o molho fica espesso, cheirosinho e com leve brilho.

Polpettone
Receita que meu amigo e Chef Bergamo me passou - é da Marcella Hazan - Fundamentos da Cozinha Italiana Clássica.

- 500g de carne bovina moída
- 1 fatia de pão de forma
- 1/3 de xícara de leite
- cebola picada
- salsinha picada
- 1 ovo
- 1 colher (sopa) de azeite
- 3 colheres (sopa) de parmesão ralado
- sal e pimenta a gosto
- farinha de pão
- óleo para fritar

Misture todos os ingredientes e faça "bolotas", passe na farinha de pão e coloque pra fritar. Em um ano nunca tinha feito fritura, faço tudo no forno! Só não me arrependi de ter feito pq o sabor ficou ótimo, mas eita coisa insuportável. A casa inteira fica cheirando a gordura, uma sujeiraiada só! Sem contar nos "perdigotos" de óleo que voam! Ninguém merece!

Daí peguei um pouco do molho de tomates que já estava pronto e coloquei por cima dos polpettones com bastante queijo e foi pro forno pra gratinar.

Sobremesa
Sorvete de frutas vermelhas
Fonte: Sobremesas e suas técnicas - Le Cordon Bleu

Fiz um creme anglaise, acrescentei as frutas vermelhas e coloquei pra bater na sorveteira.
Creme anglaise (fiz metade)
- 1 vagem de baunilha (coloquei extrato)
- 500ml de leite
- 6 gemas
- 150g de açúcar
- 100ml de creme de leite

Coloque o leite para ferver com a baunilha e deixe levantar fervura. Bata as gemas com o açúcar até formar um creme bem fofinho e claro. Despeje o leite nas gemas e mexa sem parar. Coloque a mistura numa panela e mexa em fogo baixo até começar a engrossar. Não deixe ferver para as gemas não talharem. Na sequencia, acrescente o creme de leite, misture bem e coe.

Daí numa panelinha a parte fiz uma caldinha rápida de frutas vermelhas.. tudo meio a olho. Coloquei framboesa, amora, morango e um pouco de mirtilo, com um tanto de açúcar (deve ter sido uma colher de sopa) com algumas gotinhas de limão. Depois de pronto misturei ao creme anglaise. Coloquei pra gelar um pouquinho e depois pra bater na sorveteira.

A decoração eu conto num próximo post. Certo?
Deu uma trabalheira doida, mas no final achei que ficou tudo lindo e gostoso (modesta, né? :)

Ale, lov u pra chuchu! Glau

12 de jan de 2009

Floresta urbana

Adoro plantas.. adoro temperos..
Vi as lindas frôzinhas de jabuticaba do meu amigo Bergamo e resolvi apresentar a plantação de casa...

Manjericão
Hortelã
Tomilho-limão
Alecrim Orégano
Lavanda
Mini romã Romãzona
Laranja Pitanga
Jabuticaba Limão

Delícia! Nenhuma árvore ainda deu frutos... não vejo a hora! :)